Últimas Postagens

 







 

 






 

Algumas pessoas possuem a crença de que não conseguirão estudar a menos que se sintam motivadas. Contudo, é provável que quanto mais você es...






Algumas pessoas possuem a crença de que não conseguirão estudar a menos que se sintam motivadas. Contudo, é provável que quanto mais você espere a motivação, mais dificuldade tenha em começar. Isso porque você irá se criticar, se sentir mais impotente... abrindo espaço para pensamentos intrusivos, como: “não vou conseguir”,  “acho melhor desistir de estudar”, “outras pessoas são melhores que eu” . 

Ao invés de nutrir a expectativa de que sua motivação irá voltar, desafie a ideia de que precisa estar motivado(a), de que precisa que o seu humor mude e sua vida melhore para agir.  Para isso, você pode lembrar à sua mente que não precisa gostar de fazer algo para fazê-lo. Você precisa apenas estar disposto a fazer. É diferente de estar motivado(a), confortável ou pronto(a). Essa disposição para fazer algo que não estamos com vontade se chama “desconforto construtivo” e produz autodisciplina. 

Uma razão pela qual, com frequência, não tentamos fazer algo é a necessidade de se sentir imediatamente bem. Sem pensar muito, sem ouvir a voz dos seus pensamentos intrusivos, simplesmente aja. Comece a estudar. Muito provavelmente quando você iniciar, você se sentirá melhor. A ação cria motivação. Não o contrário.

A atividade cria novas realidades, nova energia, e sensação de autocontrole (você se sente como o maestro da sua vida), o que possivelmente vai trazer motivação. Além disso, você pode fazer dois exercícios que podem te ajudar: 1) escrever os custos e benefícios de estudar e 2) Deixe visível a resposta para seguinte pergunta: “mesmo sem vontade, eu vou estudar porque: “(descreva aqui os valores importantes para você, ou seja, algo maior pelo qual vale o esforço de lutar contra a desmotivação do momento)”. Os Valores podem oferecer uma motivação profunda que ajuda a sustentar a prática de atividades na busca por objetivos desafiadores, mesmo quando isso é entediante ou ansiogênico (como é o caso dos estudos). A medida que você avança e faz o que precisa (estando ou não motivado(a)), já estará sendo recompensado(a). 

Ah, mas se você não conseguir fazer isso sozinho(a), um (a) psicólogo(a) pode te ajudar. 

Beijos Juliana Amaral – Psicóloga
 


 

 








 

 




 

 




 

 









 

NÃO FAÇA NADA! RESPIRE E CONTINUE TREINANDO. Muitas pessoas acreditam que quando sentem os efeitos fisiológicos da ansiedade no seu corpo pr...


NÃO FAÇA NADA! RESPIRE E CONTINUE TREINANDO.

Muitas pessoas acreditam que quando sentem os efeitos fisiológicos da ansiedade no seu corpo precisam fazer algo imediatamente. Isso faz com que a pessoa fique hiper atento, sobressaltado em relação ao desconforto físico, bem como com a necessidade de controle. Ironicamente, quanto mais você observa a sensação física no seu corpo (e permite que seu foco fique preso nisso), mais ela se intensifica e se prolonga.

Em vez de achar que precisa fazer algo, teste fazer diferente da próxima vez. Aceite as sensações físicas da ansiedade no seu corpo, mesmo que isso lhe pareça bem absurdo. Substitua seu medo e raiva pela aceitação. Quando você resiste, você prolonga e intensifica a sensação. Então, respire e continue fazendo o que precisa ser feito. Você vai notar que quando não presta tanta atenção à sensação, ela se esvai mais rapidamente. E lembre que o que você está sentindo boa parte das vezes não é perceptível pelas pessoas ao seu redor – as pessoas não conseguem saber que seu coração está acelerado.

Todos os sintomas da ansiedade estão relacionados a mecanismos desenvolvidos ao longo de milhares de anos e acontecem por causa da evolução das espécies, como forma de proteção de perigo real (ataque que outro humano, fugir de animais perigosos etc). A respiração rápida e o coração acelerado, acontecem porque o corpo quer garantir o adequado suprimento de sangue e oxigênio para os principais músculos entrarem em ação diante do perigo (lutar ou fugir). 

Mas essa mensagem de perigo sobre a prova oral que você enviou para o seu cérebro é um “alarme falso”, já que se trata de um “perigo” imaginário e não de um perigo real. Em vez de ver a prova oral como uma guerra, um perigo, veja como um rito de passagem, uma oportunidade, um momento necessário para você chegar no cargo que deseja. 
Esse é um ponto de partida fundamental para que você consiga lidar com a ansiedade. O curso e o treino são um excelente caminho.
Se você não estiver conseguindo lidar com sua ansiedade sozinho(a), procure um profissional de psicologia.

Beijos @julianaamaralpsi 
#provaoral