Listo abaixo os livros que li para os concursos federais e estaduais. Eu não me preocupava com a ordem e itens de um edital em específico ...

Listo abaixo os livros que li para os concursos federais e estaduais. Eu não me preocupava com a ordem e itens de um edital em específico para ler o livro. LI TODOS OS LIVROS DO INÍCIO AO FIM. Optei assim por dois motivos: (i) a ordem do autor é mais didática; e (ii) permite ser competitivo em concursos diversos, pois determinado capítulo pode não ser cobrado em um concurso, mas ser cobrado em outro. Além disso, em livros para concursos, poucos são os itens que fogem de todos os editais.

São matérias comuns a concursos de MP’s, Defensorias e Magistraturas: constitucional, administrativo, civil, CPC, consumidor, empresarial, penal, proc. penal, ambiental e tributário. Já eleitoral, ECA, econômico, financeiro, internacional, DH e previdenciário são cobrados em alguns concursos federais e estaduais.

É possível passar em concurso sem o contato com todos os ramos. Mas é inegável que o candidato fica mais vulnerável. Há concursos em que isso fica mais difícil, como o MPF, no qual há cobrança de todos os ramos em praticamente todas as fases. Na magistratura estadual, por outro lado, é comum que a cobrança de ECA e Eleitoral fique adstrita à primeira fase, o que, em outras palavras, é um grande incentivo para quem presta concurso na magistratura federal “migrar” para a estadual. Afinal, as duas matérias que NÃO são cobradas nos TRF’s não são avaliadas com tanta profundidade. O inverso é mais difícil, já que a magistratura federal cobra – e com profundidade, sobretudo no previdenciário – quatro ramos diferentes: internacional, financeiro, econômico e previdenciário.

Li, como complemento, o “SANTO GRAAL” para enriquecer e completar a lacuna de todo o material. O material é muito rico em Constitucional, DH e Internacional. O Santo Graal 2018 (versão atualizada para o 29º concurso de Procurador da República, que se encerrou em dezembro de 2018) foi cedido, generosamente, pelo estimado amigo Valdir, Procurador da República do 29º Concurso e que coordenou os trabalhos.

No link, há duas versões, com o MESMO conteúdo, mas com organização diversa: (i) a versão "por subpontos" segue a ordem do Edital do MPF; (ii) a versão "sistematizada" segue uma ordem lógica e mais didática de cada matéria.

O SANTO GRAAL do MPF nada mais é do que um resumo feito, há algum tempo, por uma turma de aprovados do MPF e, de tempos em tempos, atualizado por cada nova turma. É muito enxuto, com bastante informação, o que é ideal para a revisão para a prova oral.

Bibliografia usada: 

Constitucional - Lenza e livro de Teoria da Constituição de Daniel Sarmento e Cláudio Souza Neto
Administrativo - Marcelo Alexandrino
Civil - Tartuce (volume único)
Proc. Civil - Daniel Assumpção Neves (volume único)
Proc. Penal - Nestor Tavara
Penal - 3 Volumes do Cleber Masson e Crimes Federais de Baltazar Jr.
Empresarial - André Santa Cruz
Tributário - Ricardo Alexandre
Ambiental - Frederico Amado
Consumidor - Leonardo Medeiros
Coletivo - Hermes Zanetti (Lei Especial para Concursos)
Eleitoral - José Jairo Gomes
ECA - Guilherme Freire Direito
Econômico - Leonardo Vizeu
Previdenciário - Frederico Amado
Financeiro - Tathiane Piscitelli
Internacional - Portela
Humanística - nada específico
Sentença cível e penal - Nagibe de Belo e R. Schmitt
Direitos Humanos - trilogia do ACR e manual da PGR
COMPLEMENTO - Santo Graal (link)

37 comentários:

  1. Previdenciário, do Frederico Amado, foi a sinopse ou aquele maior com processo previdenciário?

    ResponderExcluir
  2. Ambiental, do Frederico Amado, foi o resumo/sinopse ou o manual?

    ResponderExcluir
  3. Júlio, boa tarde! Você alguma doutrina diferente pra Índios e Quilombolas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Flaviana! Usei o Santo Graal (que trata do tema de multiculturalismo). O livro mais indicado, porém, é o do Edilson Vitorelli

      Excluir
  4. Excelente post. Estou no meio do curso de direito e estou começando meus estudos para concurso. Gostaria de saber quantas matérias você estudava por dia ou se estudava por ciclo. Estou testando diferentes maneiras para ver qual melhor se adapta pra mim. Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Cesar, eu sempre tive o costume de estudar do início ao fim das matérias. Na série "revisão" falo melhor desse tema. E você está certíssimo em fazer testes. É melhor do que se filiar logo a um método de estudos, como se ele fosse infalível

      Excluir
  5. Dr., Consumidor foi o Leis Especiais para Concursos ou o CDC Comentado?

    ResponderExcluir
  6. A respeito de sinopses da Juspodium, o senhor acharia suficiente para eventual aprovação em certames ao cargo de Delgado de Polícia Estadual??? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço muito a coleção das sinopses, mas muitos passam em grandes concursos estudando por sinopses. Talvez em algum ponto ou outro de direito e processo penal será necessário um maior aprofundamento

      Excluir
  7. Passando aqui só pra agradecer mesmo, professor!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Júlio! Seria necessário ler "Fazenda Pública em Juízo", considerando que o Ricardo Alexandre não aborda execução fiscal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Laura! A Fazenda Pública em Juízo é mais útil para quem estuda para a advocacia pública ou para a magistratura federal, que tende a cobrar mais direito tributário em segunda fase.

      Excluir
  9. Julio, qual o outro livro que compõe a trilogia do ACR? Curso de direitos humanos; Processo internacional de direitos humanos e???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há outro livro, mas está desatualizado. Hoje seria interessante ler os dois livros que mencionou. Em direito internacional privado, porém, ele lançou livro que tende a ser cobrado também.

      Excluir
  10. Olá Júlio, para a Magistratura estadual, o livro do Nestor Távora tá de bom tamanho ou vc indicaria outro em proc penal?,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está excelente! Dá condição de ter bons resultados mesmo!

      Excluir
  11. Júlio, boa tarde! Para Eleitoral o Sr leu os 3 de José Jairo Gomes (curso de direito eleitoral, recursos eleitorais e crimes eleitorais) ou só o curso? Obrigada!!

    ResponderExcluir
  12. Professor, bom dia!!! tendo em vista o método utilizado pelo sr nos estudos, uma dúvida surgiu em mim: O sr. costumava, também, grifar os livros e reler os grifos, posteriormente? ou apenas revisava pelo vade "turbinado" e nunca mais lia os livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca mais lia os livros. Só lia o vade mecum e respectivas anotações mesmo.

      Excluir
  13. professor, então o senhor recomenda um livro por matéria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta! Não defendo a maximização do que fiz, porque cada um tem um ponto de partida, perfil (tem gente que aprende mais com vídeos) e tempo disponível. O que me parece relevante é ter alguma fonte rica para obter informações doutrinárias (como classificações, evolução do instituto e contextualização dos temas), seja ela um livro, sinopse, videoaula etc.

      Excluir
  14. Professor, as sinopses da juspodivm são suficientes para aprovação nos concursos da magistratura estadual?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não conheço bem o material, mas eu me guiaria, no seu lugar, pela bibliografia com maior uso segundo pesquisas do @magistraturaestadualemfoco. Em algumas matérias, salvo engano, prevalecem as sinopses.

      Excluir
  15. Professor por que não indicou Renato Brasileiro em Processo Penal? Estudo para Delegado Civil.

    ResponderExcluir
  16. Professor, você costumava fazer resumos ou apenas li os seus grifos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazia resumos. No vídeo sobre o método (imagem ao lado) eu explico melhor o que fiz.

      Excluir
  17. Professor, atualmente, indicaria ainda o VADE MECUM COMPACTO da RIDEEL ou teria, hoje, alguma outra indicação?

    ResponderExcluir
  18. Professor, boa noite. Permita-me enumerar, rapidamente, seu método de aquisição dos conhecimentos doutrinários: 1) escolher um livro-base (ex.: os citados no site); 2) lê-lo, de capa a capa, fazendo a filtragem e coleta apenas do "escapa" da norma"; 3) "abandono" do livro; 4) revisões e complementos com eventuais novidades (e somente novidades).
    foi , mais ou menos, assim? (detalhe: vi todo o seu famoso "vídeo"

    ResponderExcluir
  19. Só estudou pelos livros indicados mesmo ou aqui e ali ampliava como mais algum? Por exemplo: COnstitucional, só Lenza ou buscou em José Afonso da Silva, Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, como exemplos? Administrativo: só Marcelo Alexandrino/Vicente Paulo ou recorreu a Bandeira de Melo, Hely Lopes, Maria Sylvia, como exemplos?

    ResponderExcluir
  20. Olá Júlio, Direito do trabalho tem alguma sugestão bibliográfica??

    ResponderExcluir
  21. Dr. Júlio, meus parabéns pelo Blog. Estou prestando provas para magistratura federal e tenho me inspirado em sua trajetória !!

    ResponderExcluir